Para ser um Verdadeiro Auroviliano

  1. A primeira necessidade é a descoberta interior através da qual se chega a saber quem se é realmente, atrás das aparências sociais, morais, culturais, raciais e hereditárias. Em nosso centro mais íntimo há um ser, livre e vasto e conhecedor que espera por nossa descoberta e que deveria se tornar o centro ativo do nosso ser e da nossa vida em Auroville.
  2. Vivemos em Auroville para sermos livres de convenções morais e sociais; mas esta liberdade não deve ser uma nova escravidão ao ego, a seus desejos e suas ambições. A satisfação de desejos impede o caminho para a descoberta interior a qual só pode ser alcançada na paz e transparência do perfeito desapego.
  3. O Auroviliano deve perder o sentido de possessão pessoal. Para a nossa passagem pelo mundo material, o que for indispensável à nossa vida e ações é colocado à nossa disposição de acordo com o lugar que devemos ocupar. Quanto mais nós estivermos em um contato consciente com o nosso ser interior, tanto mais exatos serão os meios que nos serão dados.
  4. Trabalho, até mesmo trabalho manual, é indispensável para a descoberta interior. Se não trabalharmos, se não colocarmos a nossa consciência na matéria, a matéria nunca se desenvolverá. É muito bom permitir a consciência a organizar um pouco de matéria através do corpo. Criar ordem ao redor de si ajuda a criar ordem dentro de si. Devemos organizar nossas vidas de acordo com uma consciência interior organizada, e não de acordo com regras externas e artificiais, pois se deixarmos a vida acontecer sem sujeitá-la ao controle da consciência superior, a vida se torna dispersa e inexpressiva. É uma perda de tempo no sentido de que nenhum uso consciente é feito da matéria.
  5. Toda a Terra deve se preparar para o advento da nova espécie, e Auroville quer trabalhar conscientemente para apressar este advento.
  6. Aos poucos nos será revelado o que esta nova espécie deve ser, e, enquanto isso, o melhor é nos consagrarmos inteiramente ao Divino.
  7. A única liberdade verdadeira é aquela obtida pela união com o Divino. Só podemos nos unir com o Divino quando o ego for dominado.

A Mãe sobre Auroville